“The Body Politic”

Enquanto a BBC fornece espaço para jornalistas obesos caçarem pessoas que andam nas ruas sem máscaras, e cidadãos são supreendidos com militares batendo porta-a-porta pedindo para que pessoas se submetam a testes médicos, esbarro neste incrível (e poético) depoimento de Fiona – uma singela avó britânica terrivelmente preocupada com os efeitos das medidas contra Covid-1984 sobre nossa psicologia social e seus ditames ditatoriais – com repercussões na economia simbólica. Entre outras coisas ela expõe a facilidade desconcertante na qual nos vemos “pedindo permissão” para realizar os mais simples atos humanos – como o de abraçar seus avós, ou estar entre presentes no funeral de entes queridos. Somos todos possíveis “infectantes”.

O que pensar afinal sobre estas supostas políticas de “saúde pública” e o que fizeram de nossos corpos, nossa vida privada e nosso entendimento de humanidade?

Are we “allowed” to oppose this medical dictatorship?

E, em complemento (e incentivo) contra a praga (da infodemia), encontro uma pequena, e um tanto inusitada peça publicada pelo Instituto Mises nesta semana. Não poderia concordar mais com o autor – essas medidas higienistas (dignas de um terceiro reich) chegaram às raias do anti-natural. Por que deixamos de confiar em nos nossos corpos e nestes pequenos organismos que nele co-habitam? (virus, fungos, bactérias). O desejo assassino de vermos-nos livre deles reflete um desejo de auto-destruição…?

“The world is full of bacteria and viruses, and sometimes they make us a bit sick for a few days. There are millions of them in the world all around us, on our skin, in our nose and respiratory tract, in our organs. We are meant to live with them, which is why we all have immune systems designed to help us coexist and adapt to ever-changing organisms. We develop antibodies naturally, or we attempt to stimulate them through vaccines, but ultimately our own immune systems have to deal with covid-19. The virus will always be out there waiting, on the other side of any lockdown or mask—so we might as well get on with it. “

Jeff Deist – The Absurdity of Covid “Cases” –
https://mises.org/wire/absurdity-covid-cases

NOTA: Apesar de não ser minha fonte favorita de notícias, o artigo do Mises me parece confirmar o que já andam dizendo os famigerados (e ignorados) cientistas – Dr Sunetra Gupta (Oxford), Dr Jay Bhattacharya (Stamford) & Dr. Martin Kulldorff (Harvard) – que hoje formalizaram em público, e com palavras um tanto duras, uma verdade que políticos e misantropos de plantão parecem querer ignorar – de fato, não há outra estratégia para lidar do virus senão a temida imunidade de rebanho. Os efeitos a longo prazo de lockdowns, máscaras e isolamento também representam um risco a saúde pública – e são prontamente ignorados pela mídia mundial. Quanto iremos aprender que a natureza não é obrigada a respeitar nossas políticas?).

The Great Barrington Declaration

“A Grande Declaração de Barrington”

As infectious disease epidemiologists and public health scientists we have grave concerns about the damaging physical and mental health impacts of the prevailing COVID-19 policies, and recommend an approach we call Focused Protection. 

Por sermos epidemiologistas e cientistas de saúde pública demonstramos uma enorme preocupação quando aos danos físicos e mentais das políticas dedicadas a erradicar COVID-19, e recomendamos uma aproximação que nomeamos Proteção Focada.

Coming from both the left and right, and around the world, we have devoted our careers to protecting people. Current lockdown policies are producing devastating effects on short and long-term public health. The results (to name a few) include lower childhood vaccination rates, worsening cardiovascular disease outcomes, fewer cancer screenings and deteriorating mental health – leading to greater excess mortality in years to come, with the working class and younger members of society carrying the heaviest burden. Keeping students out of school is a grave injustice. 

Vindo de ambos esquerda e direita, e de todo mundo, temos devotado nossas carreiras à proteção das pessoas. As políticas de lockdown têm produzindo efeitos devastadores, de longo e curto prazo, a saúde pública. Os resultados (de somente alguns) demonstram que houve redução nas taxas de vacinação de crianças, uma piora de doenças cardiovasculares, poucos exames de câncer e a deteriorização da saúde mental – o que leva a um excesso na mortalidade da população nos anos porvir, com a classe trabalhadora e os membros jovens da sociedade carregando o fardo mais pesado. Manter estudantes fora das escolas é uma grave injustiça.

Keeping these measures in place until a vaccine is available will cause irreparable damage, with the underprivileged disproportionately harmed.

Manter estas medidas até o aparecimento da vacina vai causar danos irreparáveis, com os desprivilegiados sendo desproporcionalmente afetados.

Fortunately, our understanding of the virus is growing. We know that vulnerability to death from COVID-19 is more than a thousand-fold higher in the old and infirm than the young. Indeed, for children, COVID-19 is less dangerous than many other harms, including influenza. 

Felizmente, nosso conhecimento do virus está aumentando. Nós sabemos que a vulnerabilidade que leva à morte por COVID-19 é mais de mil vezes maior para idosos e enfermos do que para os jovens. De qualquer forma, para crianças, COVID-19 é muito menos perigoso do que outras doenças, incluíndo a gripe comum (influenza).

As immunity builds in the population, the risk of infection to all – including the vulnerable – falls. We know that all populations will eventually reach herd immunity – i.e.  the point at which the rate of new infections is stable – and that this can be assisted by (but is not dependent upon) a vaccine. Our goal should therefore be to minimize mortality and social harm until we reach herd immunity. 

A medida em que a imunidade cresce na população, o risco de infecção – incluíndo dos mais vulneráveis – cai. Nós sabemos que todas as populações eventualmente vão atingir imunidade de rebanho – e neste ponto a taxa de novas infecções será estável – e isso pode, mas não depende, do aparecimento de uma vacina. Nossa metal deve ser, portanto, minimizar a mortalidade e o dano social até que alcancemos a imunidade de rebanho.

The most compassionate approach that balances the risks and benefits of reaching herd immunity, is to allow those who are at minimal risk of death to live their lives normally to build up immunity to the virus through natural infection, while better protecting those who are at highest risk. We call this Focused Protection. 

Com compaixão, podemos balancear os riscos e benefícios de se atingir imunidade de rebanho, e dessa forma permitir que aqueles com o risco mínimo de morte possam viver suas vidas normalmente, e assim criar imunidade contra o virus através do contágio (e infecção) natural, enquanto protegem aqueles que estariam em maior risco. Nós chamamos isso de “Proteção Focada”.

Adopting measures to protect the vulnerable should be the central aim of public health responses to COVID-19. By way of example, nursing homes should use staff with acquired immunity and perform frequent PCR testing of other staff and all visitors. Staff rotation should be minimized. Retired people living at home should have groceries and other essentials delivered to their home. When possible, they should meet family members outside rather than inside. A comprehensive and detailed list of measures, including approaches to multi-generational households, can be implemented, and is well within the scope and capability of public health professionals. 

Ao adotar medidas para a proteção dos vulneráveis deve ser a meta dos serviços de saúde pública. Por exemplo: casas de idosos poderiam utilizar-se de staff que já adquiriu imunidade, e frequentemente testar (com o PCR) os visitantes. Rotatividade de staff também deve ser minimizada. Aposentados e idosos vivendo em casa devem utilizar de serviços de entrega-à-domicílio. E se possível, encontrar membros da família fora de casa (e não dentro). Medidas detalhadas e fáceis de entender devem ser elaboradas, incluindo aquelas que dizem respeito a famílias onde várias gerações convivem no mesmo teto.

Those who are not vulnerable should immediately be allowed to resume life as normal. Simple hygiene measures, such as hand washing and staying home when sick should be practiced by everyone to reduce the herd immunity threshold. Schools and universities should be open for in-person teaching. Extracurricular activities, such as sports, should be resumed. Young low-risk adults should work normally, rather than from home. Restaurants and other businesses should open. Arts, music, sport and other cultural activities should resume. People who are more at risk may participate if they wish, while society as a whole enjoys the protection conferred upon the vulnerable by those who have built up herd immunity.

Aqueles que não são vulneráveis à doença devem voltar à vida normal imediatamente. Medidas simples de higiene, como lavar as mãos e ficar em casa (caso apresente sintomas de doença) devem ser praticadas por todo mundo. Escolas e Universidades devem ser abertas para ensino presencial. Atividades extra-currivulares, como esportes, devem retornar. Adultos fora de risco devem trabalhar normalmente, ao invés de ficar em casa. Restaurantes e outros estabelecimentos devem ser abertos. Artes, Música, Esportes e outras atividades culturais devem retornar. Pessoas com maior risco podem participar destas atividades, enquanto a sociedade desenvolve a imunidade que afinal vai favorecer aquelres mais vulneráveis.

Por ser uma declaração mundial, você pode assina-la no link.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s